quarta-feira, 16 de junho de 2010

Feminino Singular



"Martina: uma figura de mulher «singular». Amada por uns e criticada por outros, toda a sua vida esteve sob o olhar inquisidor das gentes de Vertova, incluindo o das próprias filhas...
No decurso da sua existência, dos anos quarenta aos nossos dias, através das mais complicadas vicissitudes, ela tentará encontrar o caminho para atingir a sua autêntica vocação de mulher - gerar a vida. Terá três filhas, de três homens diferentes, sem desposar nenhum deles.
A sua morte súbita, nas vésperas do Natal, provocará um tremendo choque no seio familiar, e será Vienna, a sua mãe, a desvendar os mais íntimos segredos dessa mulher tão enigmática. Através do seu relato, descobriremos que afinal elas têm mais em comum do que pensavam: todas são mulheres atraentes e independentes, que amaram e se deixaram amar, e que decidiram, sobretudo, enfrentar os cânones sociais em prol de um bem maior - a maternidade."

Gosto da escrita desta autora. Os romances são suaves mas as mulheres por ela descritas são sempre fortes e é em torno delas que giram as histórias mas sem serem demasiadamente lamechas. Por isso mais um livro que li com gosto e com muita vontade de continuar sempre a ler um pouco mais.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Vou contar-te um segredo



"O pequeno mundo do coração é mais vasto, mais profundo e mais rico do que todo o Universo.
Em "Vou contar-te um segredo", Margarida Rebelo Pinto regressa mais uma vez ao tom intimista das mini-ficções publicadas no Jornal de Notícias. Com agilidade narrativa, a autora surpreende-nos com comédias românticas nada convencionais que misturam o tom confessional e o humor, crónica de costumes e vidas secretas, o riso e o choro. São pequenas grandes histórias de amor repletas de sentimentos e segredos vividos por personagens surpreendentemente parecidos com todos nós; mulheres maduras que são eternas adolescentes, homens indecisos ou prepotentes, rapazes apaixonados e sonhadores, amigos próximos e amantes distantes, donas de casa desesperadas e pilotos que nunca voaram.

Para ler uma de cada vez, e saborear a colheres de chá."

Que dizer sobre este livro? Não é de forma nenhuma o meu tipo de livro nem de escrita. Foi oferecido por um amigo que pelos vistos não me conhece muito bem, porque senão oferecia-me outro género de leitura. Enfim, sei que estes livros se vendem como pão quente mas confesso que quando os leio fico com a ideia que qualquer pessoa pode escrever um livro...